22/02/15

Seis castas do poder

Os idiotas acham que sabem.

Os imbecis acreditam nesses idiotas.

Os arrogantes manipulam os imbecis.

Os imbecis formam novos ignorantes.

Os ignorantes seduzem os ingênuos.

Os ingênuos acreditam nos mentirosos.

Os mentirosos jogam os ingênuos contra os idiotas.

Os idiotas precisam dos imbecis.

E os imbecis precisam dos idiotas para alimentar os ignorantes.

E todos acabam formando a sociedade moderna onde todos vivem em um ciclo vicioso: 

O poder a todo custo, até mesmo nas mínimas coisas, afinal vale tudo, para eles só não é permitido ser inteligente! 

Monir

Perdão

O perdao é um processo mental ou espiritual de cessar o sentimento de ressentimento ou raiva contra outra pessoa ou contra si mesmo, decorrente de uma ofensa percebida, diferencas, erros ou fracassos.

Durante a nossa vida causamos transtornos na vida de muitas pessoas, porque somos imperfeitos.

Nas esquinas da vida, pronunciamos palavras inadequadas, falamos sem necessidade, incomodamos.

Nas relacoes mais proximas, agredimos sem intençao ou intencionalmente. Mas agredimos.

Nao respeitamos o tempo do outro, a historia do outro.
Parece que o mundo gira em torno dos nossos desejos o outro é apenas um detalhe.

E, assim, vamos causando transtornos. Esses tantos transtornos mostram que não estamos prontos, mas em construção.

Tijolo a tijolo, o templo da nossa historia vai ganhando forma.
O outro tambem esta em construcao e tambem causa transtornos.

E, as vezes, um tijolo cai e nos machuca.
Outras vezes, é o cal ou o cimento que suja nosso rosto.
E quando não é um, é outro.

E o tempo todo nós temos que nos limpar e cuidar das feridas, asssim como os outros que convivem conosco também tem de fazer.

Os erros dos outros, os meus erros, os erros dos outros.
Esta é uma conclusao essencial: todas as pessoas erram.
A partir dessa conclusao, chegamos a uma necessidade humana e cristã:

O perdão.
Perdoar é cuidar das feridas e sujeiras.
É compreender que os transtornos são muitas vezes involuntarios.

Que os erros dos outros são semelhantes aos meus erros. e que, como caminhantes de uma jornada, é preciso olhar adiante.

Se nos preocuparmos com o que passou, com a poeira, com o tijolo caido, o horizonte deixará de ser contemplado. E será um desperdício.

O convite que faço, é que voce experimente a beleza do perdão.

É um banho na alma.

Se eu errei, se eu magoei, se eu julguei mal, desculpe-me por esses transtornos...

Estou em construção !!!

Gabriel Chalita

Fragmento Esotérico do CAMINHO

"Vejo um edifício, enorme. No muro frontal uma estreita porta, as folhas abertas, atrás, vapores sombrios. Defronte ao elevado umbral, uma jovenzinha... 

Uma linda jovem russa. Um sopro desses vapores opacos e glaciais, trazendo das profundezas do edifício, dentro de uma corrente glacial, o som de uma voz audível e pausada. 
- Oh, tu, que aspiras ultrapassar este umbral sabes o que te esperas? 
- Sei, responde a jovenzinha. 
- O frio, a fome, o ódio, as zombarias, o desprezo, a injustiça, a prisão, a doença, mesmo a morte? 
- Sei. 
- Estás disposta a ser rechaçada por todos? Estás disposta à completa solidão? 
- Estou preparada para isso. Eu o sei. Suportarei todos os sofrimentos e infortúnios. 
- Mesmo se não vêm dos inimigos, mas sim dos parentes? .
- Sim... mesmo deles. 
- Bem. Aceitas o sacrifício? 
- Sim. 
- O sacrifício anônimo? Morrerás e ninguém... 
ninguém saberás nem mesmo a que memória honrar. 
- Não tenho por que ter reconhecimento nem piedade. Nem por que ter um nome. 
- Estás preparada para o crime? 
A jovenzinha baixa a cabeça. 
- Mesmo para o crime. 
A voz que a interroga não continua imediatamente. 
Finalmente recomeça:
- Sabes que um dia poderias não crer mais do que agora crês e chegar a pensar que te enganaste e que foi por nada que perdeste tua jovem vida? 
- Isso também sei. Mesmo sabendo-o, quero entrar. 
A jovenzinha atravessa o umbral, cai uma pesada cortina. 
Rangendo os dentes, alguém profere, atrás dela:
- Uma boba!
Ao que responde uma voz, vindo de alguma parte:
- Uma santa!"

Este fragmento de origem esotérica da uma idéia do acesso ao CAMINHO. 

O "Caminho tem um sentido único". Quer dizer que, para aquele que com ele se compromete, o caminho de volta está proibido. 

Não em virtude de qualquer imperativo externo, mas pelo fato de que cada passo no Caminho modifica irrevogavelmente o conteúdo interior de quem nele se comprometeu. 

Em conseqüência disto, torna-se, mais e mais estranho ao seu meio; perde mais e mais interesse pela vida exterior, da qual ontem ainda participava plenamente. 

O aspecto das coisas e sobretudo dos seres, sofre, a seus olhos, uma profunda mudança. Se surpreenderá, um dia, ao constatar que certos rostos, nos quais ainda ontem encontrava marcas de grande beleza, deixam agora, transparecer marcas de bestialidade. 

Quanto mais progride o homem no Caminho, mais se acentua nele um sentimento de ser estrangeiro. Logo, se tornará tedioso; um pouco mais tarde, insuportável; finalmente, odioso. É por isso que

"... não há profeta sem honra senão na sua terra, entre seus parentes e na sua casa".

Aquele que quer comprometer-se nos estudos esotéricos é convidado a refletir duas vezes e a suspeitar de tudo antes de lançar-se a ultrapassar o "fosso-umbral". 

Porque, repitamo-lo, não lhe será mais possível voltar à vida exterior e ali encontrar, como no passado, satisfação e prazeres. 

De toda forma, ao lado das dificuldades, que são os primeiros resultados de sua evolução, o homem receberá impressões reconfortantes, sobretudo nas suas relações humanas. 

Surpreender-se-á ao perceber, um dia, que certos rostos que ainda ontem lhe pareciam comuns, resplandecem hoje, a seus olhos, com uma beleza deslumbrante. É porque seu olhar, aguçado pelo trabalho esotérico, adquire a faculdade de penetrar além da aparência. 

É entre esses seres mais límpidos que encontrará seus novos amigos. Sua sociedade o receberá como um dos seus. Ali será compreendido e a comunidade de interesses e objetivos será para todos uma ajuda e um estímulo. 

(Livro - Gnose)

14/12/14

IDADE DO AMOR


MULHER MADURA a IDADE DO AMOR ...!!!!

"Tome a mesma mulher aos 20 e depois aos 40 anos. Num segundo momento ela será umas sete ou oito vezes mais interessante, sedutora e irresistível do que no primeiro. 

Ela perde o frescor juvenil, é verdade.  Mas também o ar inseguro de quem ainda não sabe direito o que quer da vida, de si mesma, de um homem. 

Não sustenta mais aquele ar ingênuo, uma característica sexy da mulher de 20. Só que é compensado por outros atributos encantadores de que se reveste a mulher depois dos 40. 

Como se conhece melhor, ela é muito mais autêntica, centrada, Certeira no trato consigo mesma e com seu Homem.

Depois dos 40, a mulher tem uma relação mais saudável com o próprio corpo ... 

Está interessada em absorver do mundo o que lhe parecer justo e útil, ignorando o que for feio e baixo-astral. 

Quer é ser feliz. Se o seu homem não gostar do jeito que ela é, que vá procurar outra, hoje ela não chora, esperneia... ela é independente em tudo. Ela só quer quem a mereça.

Depois dos 40, a mulher sabe se vestir. Domina a arte de valorizar os pontos fortes e disfarçar o que não interessa mostrar. 

Sabe escolher sapatos, tecidos e decotes, maquiagem e corte de cabelo. 

Mas, sobretudo, gosta melhor. E tem gestos mais delicados e elegantes.

Depois dos 40, ela carrega um olhar muito mais matador quando Interessa matar... rsrsr 

E finge indiferença com mais competência quando interessa repelir. Ela não é mais bobinha. Não fica mais inconstante.

Mulher que é mulher, se pudesse, não vestiria duas vezes a mesma roupa, nem acordaria dois dias seguidos com o mesmo humor. Mas, depois dos 40, ela já sabe lidar melhor com este aspecto peculiar da condição feminina. 

E poupa (exceto quando não quer), o seu homem desses altos e baixos hormonais que aos 20 a atingiam e, quem mais estivesse por perto irremediavelmente. 

Aos 20, a mulher tem espinhas. Depois dos 40, a mulher tem pintas.

Encantadora pintas... que só sabem mesmo onde terminam, uns poucos e sortudos, escolhidos. 

Sim, aos 20, a mulher é escolhida. Depois dos 40, é ela quem escolhe. Não veste mais calcinhas que não lhe favorecem. 

Só usa lingeries com Altíssimo Poder de Fogo. Também aprende a se Perfumar na Dose Certa, com a fragrância exata. 

A mulher depois dos 40, mais do que aos 20, cheira bem, dá gosto de olhar, captura os sentidos, provoca fome.

Depois dos 40, ela é mais natural, sábia e serena. Menos ansiosa menos estabanada. Seus lábios, mais reluzentes. Sua saliva, mais potável;

O jeito de olhar tem mais glamour.

Depois dos 40, quando ousa no quer que seja, a mulher costuma acertar em cheio.

No jogo com os homens, já aprendeu a atuar no contra-ataque. 

Quando dá o bote, é pra liquidar a fatura. Ela sabe dominar seu parceiro sem que ele se sinta dominado. 

Mostra sua força na hora certa e de modo sutil. Não para exibir poder, mas para resolver tudo a seu favor antes de chegar o ponto de precisar exibi-lo.

Se você, mulher, anda preocupada porque não tem mais 20 anos, ou porque ainda não tem, mas percebeu que eles não vão durar para sempre, fique tranquila. É precisamente, a partir dos 40, que o 
JOGO COMEÇA A FICAR BOM BOM !!!

- Artur de Távola -



12/12/14

DEPOIS DOS 35 ANOS

DEPOIS DOS 35 ANOS 
por Fabrício Carpinejar

"A cantora e ex-primeira dama da França, Carla Bruni, falou em entrevista para a revista Veja algo que acredito muito.

Que depois dos 35 anos, a beleza é resultado da simpatia, da elegância, do pensamento, não mais do corpo e dos traços físicos.
A beleza se torna um estado de espírito, um brilho nos olhos, o temperamento.
A sensualidade vai decorrer mais da sensibilidade do que da aparência.

Uma mulher chata pode ser bonita antes dos 35 anos.
Uma mulher burra pode ser bonita antes dos 35 anos.
Uma mulher egoísta pode ser bonita antes dos 35 anos.
Uma mulher deprimida pode ser bonita antes dos 35 anos.
Uma mulher desagradável pode ser bonita antes dos 35 anos.
Uma mulher oportunista pode ser bonita antes dos 35 anos.
Uma mulher covarde pode ser bonita antes dos 35.

Depois, não mais, depois acabou a facilidade. Depois o que ilumina a pele é se ela é amada ou não, se ela ama ou não, se ela é educada ou não, se ela sabe falar ou não.
Depois dos 35 anos, a beleza vem do caráter. Do jeito como os problemas são enfrentados, da alegria de acordar e da leveza ao dormir.
Depois dos 35 anos, o sexo é o botox que funciona, a amizade é o creme que tira as rugas, o afeto é o protetor solar que protege o rosto.

A beleza passa a ser linguagem, bom humor. A beleza passa a ser inteligência, gentileza.
Depois dos 35 anos, só a felicidade rejuvenesce."

04/12/14

Mãe - Mulher


Um garotinho perguntou à sua mãe:
-Mamãe, por que você  está chorando?
E ela respondeu:
- Porque sou mulher...
-Mas... eu não entendo.
A mãe se inclinou para ele, abraçou-o e disse:
- Meu amor, você jamais irá entender!
Mais tarde o menino perguntou ao pai:
- Papai, por que a mamãe às vezes chora sem motivo?
- Todas as mulheres sempre choram sem motivo...
Era tudo o que o pai era capaz de responder...
O garotinho cresceu e se tornou um homem. E, de vez  em  quando, fazia a si mesmo a pergunta: “ por que será que as mulheres choram, sem ter motivo para isso?”

Certo dia esse homem se ajoelhou e perguntou a Deus:
- Senhor, diga-me... por que as mulheres choram com tanta facilidade?

E Deus lhe disse:
- Quando eu criei a mulher, tinha que fazer algo muito especial. Fiz seus ombros suficientemente fortes, capazes de suportar o peso do mundo inteiro...  porém suficientemente suaves para confortá-lo. Dei a ela uma imensa força interior para que pudesse suportar as dores da maternidade e também o desprezo que muitas vezes provem de seus próprios filhos!

Dei-lhe a fortaleza que lhe permite continuar sempre a cuidar de sua família, sem se queixar, apesar das enfermidades e do cansaço, até mesmo quando outros entregam os pontos!

Dei-lhe sensibilidade para amar seus filhos, em qualquer circunstância, mesmo quando esses filhos a tenham magoado muito...

Essa sensibilidade lhe permite afugentar qualquer tristeza, choro ou sentimento da criança, e compartilhar as ansiedades, dúvidas e medos da adolescência!

Porém, para que possa suportar tudo isso, meu filho... eu lhe dei as lágrimas, e são exclusivamente, para usá-las quando precisar. Ao derramá-las, a mulher verte em cada lágrima um pouquinho de amor. Essas gotas de amor desvanecem no ar e salvam a humanidade!

O homem respondeu com um profundo suspiro...
- Agora eu compreendo o sentimento de minha mãe, de minha irmã, de minha esposa.


21/10/14

Angulos na pratica